Qualificação profissional: de olho no futuro

Uma das propostas da Sargento Janethe, pré-candidata a vereadora pelo município de São Paulo, para o desenvolvimento socioeconômico dos jovens,  é celebrar convênios com organizações visando qualificação profissional.

A prefeitura já dispõe de vários cursos de qualificação profissional, como: ReciclaTec, EcoSampa, CozinhaEscola, Portal CATE, Starti, Elabora, Moda e Costura, Foco, Pro Varejo, etc., porém, ainda é pouco frente a demanda de jovens na capital paulista que precisam ser inseridos no mercado de trabalho.

Um dos projetos é viabilizar convênios entre a prefeitura e o Sistema S, que é composto pelas seguintes organizações:

  • Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai);
  • Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac);
  • Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar);
  • Serviço Social do Comércio (Sesc);
  • Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop);
  • Serviço Social da Indústria (Sesi);
  • Serviço Social de Transporte (Sest).

O chamado Sistema S é um conjunto de organizações criadas com o objetivo de formar mão de obra qualificada para indústria, comércio e serviços, o que promove desenvolvimento social e intelectual do aprendiz, bem como da sua família e da comunidade em que vive.

São vários os cursos oferecidos pelo Sistema S, desde a educação básica ao superior, bem como áreas de assistência social, cultura e do lazer.

Em um momento que a administração pública carece de recursos e investimento, e que se busca Parcerias Público-Privada (PPP), é possível firmar convênio com o Sistema S que é financiado por empresários de seu respectivo setor.

Ao celebrarmos convênios como Sistema S, o município fortalecerá as organizações, visto que o Estado não reduzirá o repasse de verbas do empresariado, e ao mesmo tempo, atrairá mais emprego de qualidade para a cidade, consequentemente, desenvolvimento social e econômico.

Mão-de-obra qualificada, produtiva e integrada às necessidades empresariais significa uma melhor remuneração, consequentemente, o município se beneficiará de um montante tributário maior.

Penalizar a indústria, o comercio e o setor de serviço reduzindo o repasse do empresariado ao Sistema S com o objetivo de ter uma carga tributária maior, é atentar contra o Estado, os setores produtivos, consequentemente, um desserviço ao desenvolvimento da coletividade.

Para a pré-candidata Janethe:

“Convênios firmados entre a Prefeitura do Município de São Paulo com atores do Sistema S trará oportunidade para jovens e adultos se qualificarem, aptas para ocuparem vagas de emprego no município. Quando se investe em qualificação profissional em áreas de a indústria, o comercio e o setor de serviços precisam, consequentemente, atrairemos para o município empresas que necessitam de profissionais qualificados”.

 

Sistema S:

Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI)

O SENAI, maior complexo de educação profissional da América Latina, é responsável por promover cursos livres, de aperfeiçoamento, técnicos, de graduação e de pós-graduação, para mais de 2 milhões de alunos matriculados. Todos os seus programas visam formar mão-de-obra para o setor industrial e contam com títulos como “Mecatrônica”, “Qualidade”, “Edificações” e “Automação Industrial” são figuras comuns em seu catálogo.

 

Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (SESC)

Seguindo o modelo promovido pelo SENAI, o SESC oferece à população cursos que possibilitem a sua entrada no setor comercial, assim como o aperfeiçoamento de habilidades e o desenvolvimento da formação especializada. Entre os cursos oferecidos por ele estão: Representante Comercial, Gastronomia, Gestão Pública e Pedagogia, entre outros.

 

Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop)

Cientes de que as cooperativas também necessitam de aprimoramento técnico e administrativo, assim como os seus cooperados, o SESCOOP tem cursos voltados para o cooperativismo, a gestão de projetos, os sistemas logísticos (distribuição, armazenamento etc.) e a gestão de estoque, entre outros.

 

Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR)

A última das instituições totalmente voltadas à promoção educacional é o SENAR. Como seu próprio nome indica, o SENAR se dedica a prestar suporte na educação da comunidade rural, focando em áreas como agricultura, agroindústria, extrativismo e aquicultura. Abrange desde a formação técnica até a formação superior de seus estudantes.

 

Serviço Social do Comércio (SESC)

O SESC se dedica ao bem-estar e à qualidade de vida dos trabalhadores do Comércio. Assim, oferece atividades voltadas para a assistência social, lazer e cultura dos mesmos, entre outras frentes de atuação. Isso quer dizer que a instituição se debruça sobre a organização de peças de teatro, mostras culturais, trabalho social…

 

Serviço Social da Indústria (SESI)

Assim como o SESC promove cultura, lazer e saúde para os empregados do comércio, o SESI se dedica a fazer o mesmo por aqueles que trabalham na indústria.

 

Serviço Social do Transporte (SEST)

Ainda que não possuam instituições exclusivamente dedicadas a incentivar a sua qualificação, os funcionários do setor de transportes contam com o SEST para promover cursos, palestras e eventos ligados tanto ao seu bem-estar pessoal quanto do seu aprimoramento como profissionais.

 

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE)

Se todas as instituições que listamos até aqui estão voltadas para o empregado, o SEBRAE vai na contramão. O seu principal objetivo é apoiar o micro e pequeno empresário na criação e crescimento dos seus negócios, a partir de cursos e eventos presenciais e online, gratuitos ou pagos.

 

Consulta: Mais Retorno

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *